terça-feira, 29 de junho de 2010

Planetário reabre em novembro

As obras de recuperação do espaço físico mais visitado da capital estão em ritmo acelerado. Na reinaguração, um projetor de alta definição dará mais nitidez às imagens captadas do espaço


Noelle Oliveira - Correio Braziliense
Publicação: 29/06/2010 07:56

O Planetário de Brasília deverá ser reaberto em novembro. A previsão é de que a parte física da obra iniciada em 2008 fique pronta em outubro, faltando apenas a instalação das máquinas para projeção de imagens. Para equipar o novo planetário foi adquirido pelo Governo do Distrito Federal (GDF) o que há de mais moderno em termos de projeção digital. Atualmente, existem apenas dois equipamentos do tipo instalados no mundo, ambos na Alemanha. Para comprar o projetor de alta definição foram gastos cerca de R$ 6,6 milhões. Para a conclusão das instalações do prédio, que exigiu a derrubada e a construção de novas estruturas, o governo local desembolsou R$ 9,2 milhões.

Carlos Brito diz que o reforço da estrutura motivou o atraso na reforma - (Rafael Ohana/CB/D.A Press
)
Carlos Brito diz que o reforço da estrutura motivou o atraso na reforma
A intenção é que o ponto turístico, que já foi um dos mais visitados da capital, volte a ser referência, dessa vez, mundial. “A obra atrasou porque tivemos que fazer todo um reforço das estruturas do prédio antes que as modificações fossem feitas, mas agora já estamos em uma etapa bem evoluída, em que o trabalho flui com mais rapidez”, explica Carlos Brito, da diretoria de Políticas Governamentais da Secretaria de Ciência e Tecnologia (SECT), responsável pela obra. A reestruturação do ponto turístico, licitada em 2005, foi inicialmente orçada em R$ 7,1 milhões. Um mês após o começo das obras, no entanto, a empresa teria detectado problemas estruturais além da falta, nos arquivos do GDF, do cálculo estrutural do prédio. Com isso, um novo estudo com base na estrutura pronta foi desenvolvido para apontar onde e como mexer no prédio.

A reforma deveria ser concluída em março último. “Esse ano, tivemos novamente um período mais lento na execução, com a crise política e a troca de governo. Mas agora já está tudo retomado”, conta Brito, garantindo o cumprimento do novo calendário.

Biblioteca
Além da sala de projeção, dedicada à ciência e à tecnologia, estão previstos espaços para outras áreas de conhecimento. Locais do prédio, que na versão original do planetário eram dedicados a aquários(1), agora abrigarão uma biblioteca digital. Em um telão, o visitante poderá conhecer como pesquisar conteúdos disponíveis nos maiores museus do mundo. Também foram reservados lugares especiais para a realização de oficinas e a instalação de terminais com computadores, cujo acesso será aberto ao público.

Em funcionamento, o planetário deve receber a visita de cerca de 150 mil pessoas por ano. Dessas, aproximadamente 120 mil são estudantes. Quem visitou o planetário no tempo em que ele esteve em funcionamento, aguarda ansioso pelo retorno da atração turística. É o caso da diarista Patrícia Soares, 40 anos, que observa o andamento das obras todos os dias, quando passa pelo Eixo Monumental, a caminho do trabalho. “Visitar o planetário é uma das coisas que eu mais gostava durante a minha adolescência. Agora será a oportunidade de desfrutar desse momento com os meus filhos.”

1 - 13 anos fechado
Com 35 anos, o Planetário de Brasília é marcado por problemas que resultaram no seu fechamento em 1997. Com a ideia de unir o céu e o mar, o arquiteto Sérgio Bernardes projetou 16 aquários para ocupar o pavimento superior. Eles, no entanto, nunca saíram do papel e foram um dos fatores responsáveis pelas infiltrações que destruíram parte da estrutura do prédio.

Memória

1974
O planetário é inaugurado em 15 de março pelo governador Hélio Prates, mas em 30 dias o lugar precisa ser fechado por estar inacabado.

1975
A reabertura do planetário ocorre em agosto, mas os problemas estruturais continuam. O prédio segue aberto por um breve período, até ser fechado novamente em 1979.

1980
Após um ano sem funcionar, o planetário volta a receber o público em outubro. Passa cinco anos aberto e é fechado novamente devido a problemas técnicos.

1997
Problemas sérios de estrutura como infiltração, mofo, sujeira e quebra do projetor assolam o planetário. Reformas são realizadas, mas insuficientes para a reabertura.

2004
Convênio firmado entre o Ministério da Ciência e Tecnologia e o GDF define recursos para o setor que beneficiam o planetário. As obras de recuperação são orçadas em R$ 2 milhões.

2005
É feita uma nova avaliação das estruturas do planetário que descarta os aquários previstos no projeto original. A reforma que deveria ser concluída no primeiro semestre de 2006 não sai do papel.

2006
Em 12 de maio, o governo local anuncia que o Ministério da Ciência e Tecnologia vai liberar R$ 344 mil para a reforma do planetário. Obras tiveram início em agosto.

2008
Em 17 de julho, a Secretaria de Obras anuncia o início da reforma, prevista para terminar em 10 meses. O custo sobe para R$ 7,2 milhões.

2010
Obra prevista para ser entregue no mês de novembro. Foram gastos cerca de R$ 6,6 milhões com equipamentos e outros R$ 9,2 milhões na estrutura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário